Mercado de seguros é incompatível com tamanho do Brasil, diz Trabuco

SÃO PAULO – O mercado de seguros brasileiro é incompatível com o tamanho da economia do País. “O Brasil tem a oitava economia do mundo, mas só o décimo oitavo maior mercado de seguros do planeta“, disse o presidente do Bradesco, Luiz Carlos Trabuco Cappi, em entrevista à imprensa.

O gasto médio do brasileiro com seguros por ano é de US$ 300, enquanto nos países desenvolvidos supera os US$ 2,5 mil. “Há muito o que crescer”, diz Trabuco. Por esse motivo, o banco elegeu o setor de seguros como o segundo pilar do grupo. O primeiro são as operações bancárias tradicionais, como crédito e serviços financeiros.

A população de baixa renda é um dos alvos do banco no setor de seguros. Há também uma nova classe que ainda não consome o produto, de pessoas de maior renda, filhos de pais de baixa renda que mudaram de classe. Segundo uma pesquisa citada por Trabuco, 80% dos clientes de alta renda dos bancos têm poder aquisitivo maior que os pais. “São pessoas que estudaram e tiveram vida melhor que os pais”, explica o executivo.

Para o novo público de baixa renda que está entrando no mercado de consumo, Trabuco diz que o País vai precisar abrir 100 milhões de contas correntes até 2020. “Se isso não ocorrer, o País falha enquanto nação.”

Entre os emergentes, Trabuco prevê não só pessoas físicas, mas também novas empresas sendo formadas e outras já existentes em crescimento. “Também haverá ascensão social na pessoa jurídica”, disse ele.

Trabuco participou nesta quinta-feira de um café da manhã promovido pelo Instituto Brasileiro de Executivos de Finanças (Ibef).

Fonte: Estadão

Compartilhe a notícia:
5k
fb-share-icon15000
20
Pin Share20

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.