Portal do Cooperativismo Financeiro Sicredi Pioneira RS – a pioneira na América Latina - Portal do Cooperativismo Financeiro

Sicredi Pioneira RS – a pioneira na América Latina

Caixa Rural de Nova PetrópolisA primeira cooperativa de crédito da América Latina foi constituída no Brasil, em Nova Petrópolis/RS, no ano de 1902. A Cooperativa de Crédito de Livre Admissão de Associados Pioneira da Serra GaúchaSICREDI Pioneira RS, foi fundada em 28/12/1902 sob o nome de Sociedade Cooperativa Caixa de Economia e Empréstimos de Nova Petrópolis, sofrendo várias alterações em sua razão social, como:

  • Cooperativa Caixa de Economia e Empréstimos Amstad (1902 – 1917)
  • Caixa Auxiliar do Sindicato Agrícola de Nova Petrópolis (1917 – 1921). A partir de 1917, em função da 1ª guerra mundial, a escrituração, correspondências e atas passaram a ser redigidas em língua portuguesa, ao invés da língua alemã.
  • Caixa Auxiliar Sistema Raiffeisen de Nova Petrópolis (1921 – 1929), alteração motivada pelo Decreto Federal de 16/03/1921,
  • Cooperativa de Crédito Caixa Rural de Nova Petrópolis (1929 – 1969),
  • Cooperativa de Crédito Rural Nova Petrópolis (1969 – 2007), alteração motivada pela Lei 4.595/64 (Lei da Reforma Bancária). Nesta época adotou-se a sigla “Cooperural”.
  • Cooperativa de Crédito de Livre Admissão Pioneira da Serra Gaúcha (2007).

Assista ao vídeo que retrata a fundação da Cooperativa.

O Surgimento

Nova Petrópolis - imigração alemãEm 07/09/1858 foi fundada a Colônia Imperial Nova Petrópolis, como terceiro distrito do município de São Sebastião do Caí. Na sede do distrito, no chamado “Stadplatz“, foram instalados os imigrantes teutos originários do Hunrück (região da Alemanha), todos evangélicos, e em Linha Imperial, cerca de 7 quilômetros adiante no chamado Kaiserthal, os vindos da Boêmia, todos católicos.

A colônia não recebeu o apoio prometido pelo governo e, abandonados a própria sorte, os moradores não conseguiram organizar-se convenientemente.

O atendimento espiritual era feito em visitas periódicas por religiosos itinerantes. Um destes religiosos era o Padre Theodor Amstad S.J. (jesuíta), suíço de língua alemã, e que veio ao Brasil em 1885 para ser vigário-cooperador de São Sebastião do Caí e São José do Hortêncio e como tal, cabia-lhe atender entre outras a comunidade de Linha Imperial. Com estas visitas regulares ele pode conhecer cada vez mais os membros da comunidade e seus problemas, percebendo logo que além de assistência espiritual os moradores da região necessitavam de urgente assistência social e econômica.

Para o Padre a melhor forma de ajudar o indivíduo é congregá-lo em grupos, e com este objetivo ele organizou na região diversas associações. Uma delas foi a Caixa de Economia e Empréstimos Amstad de Nova Petrópolis, sistema Raiffeisen, a primeira Cooperativa de Crédito do Brasil e mais antiga em funcionamento das Américas.

As enormes distâncias, para a época, até os grandes centros urbanos (Porto Alegre dista 90Km de Nova Petrópolis), as dificuldades de locomoção e principalmente a inexistência de bancos nessa região, onde os imigrantes colonos pudessem fazer suas operações de economia e crédito, levaram o Padre Amstad, conhecedor do sistema do cooperativismo de crédito europeu, “Raiffeisen”, a idealizar uma organização de crédito que solucionasse os problemas vigentes à época.

O Fundador

Theodor AmstadFilho de modesto comerciante, Theodor Amstad nasceu em 09/11/1851 em Beckernried, cidadezinha suíça localizada junto ao lago dos Quatro Cantões (Bodensee).

Além da Suíça ele estudou na Alemanha, França e Inglaterra, onde foi ordenado Padre em 08/09/1883. Veio ao Brasil em 1885, sendo logo destacado para servir nas colônias de descendência alemã do Rio Grande do Sul. Foi nomeadovigário-cooperador de São Sebastião do Caí (por 12 anos), depois de São José do Hortêncio (por 8 anos), e após em Lajeado. Foi o 1º vigário da Paróquia de Nova Petrópolis, servindo ainda em outras regiões do Estado.

Como vigário itinerante cabia-lhe atender todas as capelas da região colonial alemã do município. Durante as visitas fazia reuniões com seus fiéis e organizou a paróquia de São Lourenço em Linha Imperial, da qual foi o primeiro pároco.

O padre era conhecido como o “Pai dos Colonos” e durante 38 anos, ao lombo de sua mulinha, percorreu várias regiões do Rio Grande do Sul, fundando cooperativas (38 no total), sindicatos agrícolas, hospitais, asilos, escolas, revistas, paróquias e colônias novas, como de Cerro Largo e Santo Cristo.

O Padre era homem muito organizado e durante as visitas elaborou um completo fichário dos moradores da região. Por este fichário pode verificar, em certo momento, que a parte espiritual da comunidade estava relativamente bem atendida, mas, a parte econômica ia muito mal. Foi com base nesta constatação que Amstad, já conhecendo o modelo de Cooperativas que Raiffeisen havia implantado na Europa, iniciou a articulação para constituição de uma Cooperativa em Nova Petrópolis/RS.

A Fundação

Em 25/02/1900, Amstad lançou na vila de Santa Catarina da Feliz, hoje cidade de Feliz, sua plataforma cooperativista. Mas, a idéia de fundar de fato uma cooperativa de crédito surgiu na reunião doSindicato Agrícola “Bauerverein” do município de São Sebastião do Caí, realizada em 19/10/1902em Nova Petrópolis, então 3º distrito do município. Nesta reunião, devido ao não comparecimento dos sócios de outros distritos, o que deveria ser uma Assembléia Geral do Sindicato acabou sendo uma reunião local, isto é, só de Nova Petrópolis, na qual, após discutidos os assuntos normais, Amstad, pedindo a palavra, fez ver as precárias condições financeiras existentes na colônia e explanou a sua idéia de fundar uma cooperativa de crédito, a exemplo daquelas que ele conhecera na velha Europa.

A proposição logo entusiasmou os presentes. Contudo, achou-se que seria atrevimento a execução de um empreendimento completamente novo aqui no Brasil, e a reunião teria fracassada, segundo conta o próprio Amstad, se não tivesse renovado os seus apelos e perguntasse sobre quem dos presentes estaria disposto a se associar à projetada cooperativa.

“Porém, não foi, senão depois de alguma insistência, que conseguiu a adesão de apenas quinze dentre as muitas pessoas presentes” conta o padre em suas memórias. Assim mesmo, o Sr. Anton Maria Feix foi designado para junto com o padre elaborar uma minuta de Estatuto Social que deveria ser discutido e votado na reunião de fundação marcada para o dia 09/11/1902 na Sociedade Cultural e Recreativa Tiro ao Alvo (Schützenverein) de Nova Petrópolis. O livro de atas registra que a mesma não pode ser realizada, pois momentos antes da hora marcada, havia desabado por vendaval a Sociedade Tiro ao Alvo de Nova Petrópolis, onde seriam discutidos os estatutos e a constituição da nova entidade.

Nova reunião foi marcada para o dia 23/11/1902, ainda em Nova Petrópolis, e que também não foi realizada porque faleceu a esposa do Dr. Johann Müller von Milasch, um dos principais entusiastas da idéia do padre. Tudo conspirava para que a idéia de Amstad não sobrevivesse. Porém, mais uma vez os incansáveis homens de liderança daquela época, marcaram nova data.

Finalmente, em 28/12/1902, no salão de bailes do Sr. Nicolau Kehl, em Linha Imperial, distante 8Km de Nova Petrópolis, aprovaram-se os estatutos e fundou-se o que hoje é a Sicredi Pioneira RS, uma das 10 maiores cooperativas financeiras do Brasil, com a presença de 20 pessoas que assinaram a ata, entre elas, naturalmente, o Padre Amstad.

Da ata de fundação, redigida em língua alemã pelo próprio Padre Amstad, temos a seguinte tradução:

“Ata de fundação da Sociedade Cooperativa Caixa de Economia e Empréstimos de Nova Petrópolis, realizada na casa do Sr. Nicolau Kehl, dia 28 de dezembro de 1902, em Linha Imperial. Os 19 sócios abaixo assinados, fundaram definitivamente a Caixa de Economia e Empréstimos Amstad e aprovaram os estatutos apresentados com pequenas alterações. Pela elaboração abnegada e bem feita dos estatutos pelo Sr. Anton Maria Feix a assembléia agradeceu calorosamente. Logo após o registro a Caixa deverá começar a funcionar. As cotas de capital de giro deverão ser pagar até o dia 15 de janeiro do próximo ano. Como tesoureiro provisório foi escolhido o Sr. Josef Neumann Senior e encarregado de tomar as devidas providências. Nome dos sócios fundadores presentes:

  1. Alfred Steglich
  2. August Stahl
  3. Hermann Kaiser
  4. Jacob Krug
  5. Franz Raimann
  6. Nicolaus Stahl
  7. Anton Maria Feix
  8. Josef Oppitz
  9. Nicolaus Kehl
  10. Josef Hillebrand
  11. Franz Hillebrand
  12. Anton John
  13. Carl Bratz
  14. Josef Neumann Filho
  15. Johann Brunner
  16. Franz Opppitz
  17. Albert Drechsler
  18. Friederich Stoffels
  19. Johann Grings

A notícia da fundação da cooperativa, “Sparkasse Amstad” (Caixa de Economias Amstad), alastrou-se rapidamente por toda a região do distrito de Nova Petrópolis e até a reunião de 15 de fevereiro de 1903, já haviam aderido os seguintes novos sócios: Johann Wazlawick, August Mass, Johann Muller von Milasch, August Dunker, August Schwantes, Eduard Kny, Giuseppe Colliselli, Josef Neumann Senior, Wilhelm Rasche, Wilhelm Ullmann, Jakob Backes, Johann Stocker, Carl Stocker, Carl Schaedecke e Anton Weber.

  • Ainda nessa última reunião foi eleita a 1ª Diretoria, assim constituída: Presidente, Anton Maria Feix, Secretário, Franz Hillebrand e Gerente, Josef Neumann Senior. Como revisores de caixa, escolhidos os Srs. Alfred Steglich e Johann Wazlawick.
  • Foram criadas as seguintes filiais, postos de coleta de depósitos: Vila Nova Petrópolis, Linha Brasil, Linha Araripe, Linha Marcondes e Linha Sebastopol, ficando a sede social e jurídica fixada em Linha Imperial, passando a operar na casa residencial do próprio Gerente, recém eleito, Josef Neumann Senior.
  • Foi recomendado que se aproveitasse a Caixa Amstad como meio especial para incutir nas crianças o espírito de economia, abrindo-se-lhes cadernetas de poupança.
  • Como demonstração de confiança no novo empreendimento, o próprio Padre Amstad, durante a reunião, efetuou o 1º depósito, de Rs. 100$000 (cem mil réis) para a Comunidade Católida de Faria Lemos, uma das capelas atendidas por ele na época. Seguindo o bom exemplo, o sócio fundador Alfredo Steglich, efetuou o 2º depósito na quantia de Rs. 25$000.
  • O 1º crédito foi concedido a Felipe Kiekow, no valor de Rs. 300$000 no dia 15/03/1903, o 2º a Augusto Stahl, de Rs 50$000 e o 3º Frederico Zang, de Rs. 200$000, sendo que o maior empréstimo do ano foi feito, em 15/12/1903, à Comunidade Evangélica de Nova Petrópolis, no valor de Rs. 1.000$000, para a construção da igreja ainda hoje existente.

Estava assim criada e em funcionamento a Cooperativa Caixa de Economia e Empréstimos Amstad, a 1ª fundada no Brasil e o ponto de partida da maior rede de organizações sistema Raiffeisen da América do Sul, seguidas pelas cooperativas de crédito em Bom Princípio, Lajeado, São José do Herval, Santa Cruz do Sul, Venâncio Aires, Cerro Largo, …, constituindo-se até 1964 em uma rede de 66 cooperativas, todas filiadas à Central das Caixas Rurais, que em 1942, em reconhecimento por suas grandes obras, mandaram construir em sua memória, em Linha Imperial.

  • Monumento localizado em Linha Imperial em alusão ao Padre Theodor Amstad e às 38 Cooperativas de Crédito fundadas com sua orientação e coordenação no período compreendido entre 1902 e 1940. O Padre Amstad nasceu na Suíça em 1851 e faleceu 2 dias antes de completar 87 anos (1938).

Os frutos da obstinada ação de Amstad em favor do associativismo não tardaram a aparecer em todo o Estado do Rio Grande do Sul. Algumas cooperativas chegaram a atingir níveis elevados de desenvolvimento, muitas vezes graças a valorização da mulher e ao caráter interconfecional (neutralidade religiosa) que ele imprimia às associações que fundava e assistia.

Mapa cooperativas criadas por Theodor AmstadNa imagem estão relacionadas as 35 cooperativas de crédito constituídas com a orientação e coordenação do Padre Theodor Amstad. Além destas houveram outras 3 instituições criadas sob a coordenação de Theodor Amstad.

Ao longo de sua história a sede social da Caixa Amstad passou por diversos endereços:

  • Entre 1903 e 1933 a sede funcionava na casa do 1º gerente, Sr. José Neumann Senior, que ficava cerca de 5Km de Nova Petrópolis em direção à Linha Imperial.
  • Em 1933 a sede foi transferida para a vila de Linha Imperial, junto à casa do gerente José Otto Neumann.
  • Em 1953, a sede foi transferida para a sua 1ª sede própria, localizada ao lado da Praça Padre Amstad, em Linha Imperial. A pedra angular desse prédio foi colocada solenemente em 1952, por ocasião dos festejos do cinquentenário da Caixa Rural, na presença de 1.500 pessoas, inclusive do Governador do Estado, Gal. Ernesto Dornelles. Este prédio foi vendido em 1974.
  • Em 1958, é criada e instalada a filial de Nova Petrópolis, para a qual é contratado o Sr. Weno Blásio Neumann como gerente.
  • Em 1967, em virtude da Lei 4.595/64 (Reforma Bancária) não permitir a existência de filiais para Cooperativas de Crédito, e ainda, pelo fato do maior volume de operações ocorrerem na filial de Nova Petrópolis (cerca de 70%), a matriz/sede foi transferida para o local da então filial de Nova Petrópolis, sendo esta a 4ª sede social da Cooperativa de Crédito de Nova Petrópolis.

O Desenvolvimento da Caixa Rural

A evolução da Caixa Amstad foi muito rápida, e após alguns anos passava a dominar totalmente o movimento financeiro, passando a ser o “banco” não só dos colonos como também de toda a região de Nova Petrópolis.

Houveram longos períodos em que haviam disponibilidades de tal ordem que fora necessário fixar-se um limite máximo para os depositantes, e, em virtude da falta de procura de empréstimos, as sobras de recursos eram canalizadas para a Central das Caixas e outros Bancos, em Porto Alegre.

Durante decênios, e isto até 1964, a Cooperativa de Crédito tinha condições de financiar totalmente a construção de casas e aquisições de terras ou terrenos para os sócios, inclusive os prazos eram concedidos sem vencimentos e sem estipulação de prestações, exigindo-se somente que os juros fossem pagos semestralmente.

Com o advento da Lei 4.595 de 1964 (Lei da Reforma Bancária), começou a decadência do cooperativismo de crédito brasileiro, e isto em virtude de uma série de exigências de alterações e proibições às quais as Cooperativas foram obrigadas a se adaptarem. Dentre as principais estão:

    • Captação de depósitos somente de associados, antes liberado;
    • Associação de pessoas que exercem atividade predominantemente agrícola ou pecuária, antes liberado para qualquer profissão;
    • Fechamento das filiais existentes;
    • Obrigatoriedade de subscrição de cotas-partes de capital social (antes apenas as Cooperativa Luzzatti poderiam ter capital social);
    • Fixação de taxas de juros muito baixas para os depósitos e até para os empréstimos;
    • Depósito obrigatório da reserva técnica (liquidez) no Banco do Brasil S/A, sem juros;
    • Proibição para aplicação do Fundo de Reserva, em Letras do Tesouro ou outros Títulos Públicos;
    • Exclusão das Cooperativas de Crédito da câmara de compensação de cheques;
    • entre outras …

Todas estas medidas não foram benéficas para o Cooperativismo de Crédito, tanto que das 66 cooperativas existentes no Rio Grande do Sul em 1967, em 1977, 10 anos após, existiam ainda 15, sendo inclusive dissolvida (extinta) a Central das Caixas Rurais.

Em 1977, ao completar 75 anos de atividades, a cooperativa possuia 3.085 associados (de um total de 15 mil habitantes na época). Em 1999, 3 anos antes de completar 100 anos a cooperativa possuia 6.097 associados, e em 2002 o número já era de 20.486 associados. O grande motivo deste rápido avanço em um período de 3 anos foi a abertura de novas filiais e o foco no público urbano, atingindo em 2012 (ao completar 110 anos) o número de 84 mil associados, sendo a 4ª maior cooperativa de crédito do Brasil em número de associados.

Principais dirigentes ao longo da história

Ao longo de seus primeiros 100 anos de história, a atual Sicredi Pioneira RS, teve poucos dirigentes, contabilizando apenas 4 Presidentes neste período:

  • Presidentes:
    1. Anton Maria Feix, Presidente de 1902 à 1929, por 27 anos
    2. Carlos Feix, foi Presidente de 1929 a 1960, isto é 31 anos
    3. José Wolmeister, Presidente de 1960 à 1974, por 14 anos
    4. Edio Spier, foi Presidente de 1974 à 2010, por 36 anos
    5. Mário José Konzen, de 2010 à 2011 (mandato interino)
    6. Márcio Port, de 2011 a …
  • Secretários e Gerentes:
    1. Francisco Hillebrand, Secretário de 1902 à 1920, por 18 anos
    2. José Otto Neumann, Secretário de 1920 à 1928 e Gerente de 1928 à 1975, completando 55 anos de diretor
    3. Rudolfo F. Neumann, Secretário de 1928 à 1968, por 40 anos
    4. Henrique Hugo Spaniol, de 1968 à ???
  • Gerentes
    1. José Neumann Senior, Gerente de 1902 à 1910, por 8 anos
    2. José Neumann Filho, Gerente de 1910 à 1928, por 18 anos
    3. José Otto Neumann, Gerente de 1928 à 1975, por 47 anos
    4. Werno Blásio Neumann, Gerente de 1975 à 1989, por 22 anos
    5. Gerson Ricardo Seefeld, Gerente de 1989 à 2000, por 11 anos
    6. Gilmar Miguel Uberti Minuzzi, Superintendente de 2000 à 2006, por 6 anos
    7. Márcio Port, Superintendente de 2006 à 2010, por 4 anos
    8. Solon Stapassola Stahl, Diretor Executivo de 2010 a …

Capital Nacional do Cooperativismo

O dia 19/01/2010 ingressou para a história da Sicredi Pioneira após a sanção do Presidente Luiz Inácio Lula da Silva da Lei Federal 12.205/10 que consagrou Nova Petrópolis como a Capital Nacional do Cooperativismo.

Conheça o site da Capital Nacional do Cooperativismo (link).

A imagem abaixo apresenta o monumento “A Força Cooperativa” instalado em Nova Petrópolis e segundo Ivano Barberini, ex-Presidente da ACI (Aliança Cooperativa Internacional), “é o mais representativo monumento ao cooperativismo no mundo”.

Leis em alusão à Capital Nacional do Cooperativismo

  • Lei Municipal 06/2007, de autoria do vereador Jorge Lüdke (PMDB).
  • Lei Estadual 13.077/2008, proposta pelo deputado Giovani Cherini (PDT).
  • Lei Federal 12.205/2010, proposta pelo deputado Pepe Vargas (PT) e sancionada pelo Presidente Luiz Inácio Lula da Silva.

Conheça mais sobre a história da Sicredi Pioneira RS no site www.sicredipioneira.coop.br

Conheça mais sobre a história do Padre Theodor Amstad clicando aqui 

1 Comentário em Sicredi Pioneira RS – a pioneira na América Latina

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.




*

WordPress spam blocked by CleanTalk.