Cooperativas de Crédito querem atrair interesse de nordestinos

O próximo Congresso da Confederação Brasileira das Cooperativas de Crédito (Confebras) que acontece em outubro de 2020, no Recife, quer promover transformação econômico-social no Nordeste.

O Nordeste brasileiro abriga cerca de 53 milhões de habitantes, sendo a segunda região mais populosa do Brasil, perdendo apenas para o Sudeste. Apesar disso, o percentual da população associada a cooperativas representa somente 0,8% do total, muito abaixo do número de brasileiros cooperativados, que chega a 4,2%. O dado é um dos determinantes para que a Confederação Brasileira das Cooperativas de Crédito (Confebras) realize o 13º Concred (Congresso Brasileiro do Cooperativismo de Crédito) no Recife, em outubro do próximo ano. Um dos seus focos principais do evento é promover uma transformação econômico-social na Região Nordeste, semear a cultura do Cooperativismo de Crédito e buscar a ampliação da atuação das cooperativas do setor.

“O Cooperativismo é um agente transformador da realidade das pessoas. Queremos estabelecer estratégias para que o Nordeste tenha mais pessoas cooperativadas, para que as pequenas comunidades possam ser ajudadas para impulsionar a cultura, o artesanato, o pequeno produtor, a prosperidade local. Recife está no coração do Nordeste e daqui queremos fazer essa transformação transbordar para a região”, defendeu o presidente da Confebras, Kedson Macedo na abertura do evento.

O 13º Concred foi lançado oficialmente nesta quarta-feira (dia 20), durante café da manhã realizado no Radisson Hotel reunindo cerca de 50 pessoas, entre representantes de autoridades governamentais, cooperativas, especialmente de crédito, e outros parceiros da Confebras. Ainda participaram da cerimônia o presidente do Sistema OCB/PE, Malaquias Ancelmo de Oliveira, e o presidente do Sicoob Central NE, José Evaldo Campos. Para Malaquias, o Congresso é uma porta aberta para o crescimento do cooperativismo na região, especialmente em Pernambuco. “Somos apenas 150 mil pessoas cooperadas em nosso Estado para uma população de 11 milhões.” Já o presidente do Sicoob Central NE, José Evaldo Campos, acredita que a realização do Concred será um marco para a unidade das cooperativas de crédito. “O Governo, através do Banco Central, nos lançou um desafio maior: triplicar o número de empréstimos. Vamos mostrar que somos capazes e que o Governo tem que apoiar o cooperativismo.”

O Concred irá reunir entre os dias 7 e 9 de outubro de 2020, no Centro de Convenções de Pernambuco, mais de 2,5 mil participantes, entre lideranças e gestores de todo o Brasil, além de palestrantes de renome nacional para debater os principais temas e desafios do Cooperativismo de Crédito. Realizado pela Confebras, o evento tem a co-realização do Sicoob Central NE e apoio do Sescoop/PE.

INCLUSÃO

O tema escolhido para o 13º Concred é “Cooperativismo de Crédito 4.0: uma jornada de inclusão, integração e competitividade”. Além de reunir palestrantes – nacionais e internacionais -, o Concred abrigará uma feira de negócios de 9 mil metros quadrados, com cerca de 60 estandes, lançamentos de livros, talk shows e a concessão do Prêmio Concred Verde.

A Confebras entende que é importante levar o Cooperativismo de Crédito a todos os cantos do Brasil, propiciando prosperidade; inclusão bancária; justiça social; solidariedade e democracia. “Isso emerge quando uma cooperativa se estabelece em uma localidade. Queremos valorizar e empoderar as pessoas, que são os objetivos basilares do cooperativismo”, disse Macedo.

Em 2014, os municípios nordestinos atendidos por cooperativas de crédito representavam 8% do total, número tímido para o percentual nacional, que era de 43%. Em 2018, os índices cresceram em três pontos percentuais, sendo 11% e 47%, respectivamente. Para o presidente da Confebras, o momento é de comemorar o crescimento e estabelecer novos pilares para o setor. “O Nordeste é um campo fértil de oportunidades para o cooperativismo, a próxima fronteira a ser explorada”.

O Cooperativismo de Crédito é considerado uma forma mais acessível para obter bens, uma vez que os juros são mais justos. “Cinco bancos detêm 90% do mercado, o que dificulta o acesso de pessoas comuns ao serviço financeiro que necessitam. O Banco Central tem incentivado alternativas como os bancos digitais, mas as cooperativas de crédito já têm enraizamento nas comunidades e têm crescido bastante. Oferecemos todos os serviços ofertados pelos bancos com um grande diferencial: por ser sociedade de pessoas pode oferecer todos os produtos com juros mais baixos, em média de 20 a 30% abaixo em relação ao mercado tradicional”. Segundo explicou, no Cooperativismo, cada associado é dono da Cooperativa, e os resultados são distribuídos entre todos ao final de cada exercício, “uma forma democrática e solidária de participação”, resumiu.

Sobre a Confebras
Constituída em 01 de novembro de 1986, a Confebras nasceu para representar o Cooperativismo de Crédito no Brasil, disseminar a cultura cooperativista financeira e formar cidadãos e profissionais cooperativistas qualificados. Há mais de 30 anos, a Confederação exerce seu compromisso com o desenvolvimento do Sistema Nacional de Crédito Cooperativo (SNCC).

Fonte: confebras.coop.br

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado.

*