Inteligência Financeira à Serviço dos Cooperados!, por Alexandre Poffo

Inteligência Financeira“Informação só é informação quando é multiplicada”.

Em qualquer momento da vida, desperdiçar ou deixar de ganhar dinheiro, retardam a busca da tão sonhada liberdade financeira, ou para aqueles que além do dinheiro valorizam outras áreas da vida, a Prosperidade Financeira. Agora, imagine então, perder dinheiro em momentos como os atuais?

Quais os pequenos detalhes que estão fazendo a diferença no bolso, e porque não dizer na vida dos seus cooperados?

Trazendo para a prática, vou exemplificar com uma situação que ocorreu há poucos dias durante uma das minhas sessões de coaching financeiro, e foi por este motivo que resolvi escrever este artigo e dividir essa dica preciosa com os colegas Cooperativistas.

Como o papel do Coach Financeiro é potencializar a performance financeira do seu cliente (coachee), bem como desenvolver a inteligência nas tomadas de decisão, solicitei ao mesmo que me apresentasse um relatório tanto de juros pagos como recebidos, ou seja, operações de crédito e aplicações financeiras daquele momento. Com esta atividade, nosso objetivo seria aumentar a renda ou reduzir despesas, e se possível, ambos!

O relatório possuía um empréstimo pessoal (com juros nominais de 4,35%am), cartão de crédito (rotativo de 13,9%am) que naquele momento não estava sendo utilizado. Além disso, um valor aplicado, ou melhor, guardado na tradicional caderneta de poupança. Esta pessoa além de cliente bancário também é associada a uma Cooperativa Financeira, segundo ele onde “recebo somente o meu salário”, veja que limitante. Antes de iniciarmos as devidas análises, questionei se à época essas foram as melhores opções que ele havia encontrado, já que é sabido o diferencial das Cooperativas em relação aos bancos, logo, a resposta foi: “eu acho que a diferença na taxa do empréstimo da Cooperativa era pouca coisa menor, eu perguntei na época para a gerente, mas não lembro exatamente quanto era. O cartão eu nem sabia que eles (a Cooperativa!) possuíam, eu tenho o Platinum, mas acho que esta categoria não tem. A poupança eu não tirei do banco, pois não quero pagar IR e tem a questão de sacar na hora que eu preciso… ah! mas é garantido?”. Vejam o que faz a falta de conhecimento na vida financeira de uma pessoa, para nós que vivemos neste meio, confesso que a “dor” ao ouvir esses argumentos é grande! Mas enfim, para concluir o assunto, expliquei passo a passo o cálculo do CET, e fiz comparações entre as taxas efetivas do banco e da Cooperativa, tanto no empréstimo, quanto na aplicação, considerando taxa líquida, retorno de sobras, além da liquidez imediata, fundo garantidor e a possibilidade de investir pequenos valores com benchmarking em CDI.

E foi assim que após muitas somas, os ganhos passaram facilmente de R$ 2.000,00 em um ano!!! Mas para que ele entendesse esse número foi preciso, além de comparar custos efetivos e valores, somar estas diferenças ao longo do tempo, no caso do empréstimo expliquei que a diferença não são R$ 69,00 reais por mês, são R$ 828,00 reais por ano, mais R$ 310,00 reais anuais de economia em tarifas. Além de R$ 770,00 reais a mais em juros recebidos no ano. E óbvio, considerei também o retorno sobre juros pagos, recebidos e certamente devo ter esquecido mais algum retorno, por favor, me perdoem. Qual a resposta do cliente? Ele multiplicou os R$ 2 mil em 10 anos!!! Sinal que entendeu o que é inteligência financeira, digase de passagem. Ficou mudo alguns instantes (…) e em seguida retomamos a conversa.

É isso, pessoas ou a grande maioria delas, são movidas a ver os benefícios “no bolso”, temos que ser criativos e além de calcular, SOMAR!!! as pequenas diferenças no médio e longo prazo, traduzindo em ganhos financeiros para a vida do cooperado.

PORTANTO, PARA REFLETIR: Nossas equipes estão preparadas para atuar com inteligência (não confundir com informação ou conhecimento) financeira? Sabem fazer as perguntas certas? Sabem mostrar os ganhos financeiros e o quanto representam na vida dos cooperados? Fazer um simples cálculo do CET sem utilizar uma planilha de Excel? E, sabem que os PEQUENOS DETALHES podem levar pessoas ou empresas ao sucesso? Ou fracasso?

Por fim, atender bem e apresentar sobras no resultado anual, já não são mais diferenciais, são obrigações. Utilizar a inteligência financeira e transformá-la em Prosperidade Financeira para a vida dos cooperados, sim! Este já é, e será um grande diferencial. O Cooperativismo é o melhor sistema do mundo, divulguem SEM moderação!!!

Alexandre Poffo é Coach Financeiro, Palestrante e Dirigente da Ordem dos Economistas de Santa Catarina – OESC

8 Comentários em Inteligência Financeira à Serviço dos Cooperados!, por Alexandre Poffo

  1. Excelente abordagem!
    A escolha de cooperativa em vez de banco convencional, no âmbito do Sicoob, significou, em 2015, uma economia/agregação de renda da ordem de R$ 7 bilhões para os cerca de 3,2 milhões de associados do Sistema. Estendendo a estimativa para todo o cooperativismo financeiro brasileiro, os ganhos dos 8,3 milhões de cooperados alcançam R$ 17 bilhões!
    Eis o verdadeiro diferencial econômico da solução cooperativa, e que precisa ser melhor difundido na mídia.
    Parabéns!

    • Obrigado Prezado Ênio Meinen!
      Excelente seu comentário, o Cooperativismo é uma opção real e acessível às pessoas, uma solução pronta para a construção de um Brasil e um mundo mais justo e sustentável. Veja o ganho fantástico gerado pelo cooperativismo, são R$ 17 bilhões à serviço dos Cooperados e das comunidades, parabéns ao Sicoob e a todos os sistemas cooperativos!
      Vamos em frente.

  2. Isso deve ser compartilhado ao maior número de pessoas possíveis. O mercado bancário privado e abusivo formou um pensamento limitado, pequeno e sem alternativa nas pessoas, o que não é a verdade. Temos muitas alternativas, principalmente o cooperativismo.

  3. Belo texto!
    Configura-se descaso ou falta de conhecimento. Precisamos prestar, gratuitamente, aos nossos associados consultoria, assim, a tão sonhada fidelização acontecerá.

    • Obrigado Prezado Manoel! Perfeito, a consultoria/mentoring deve ser um serviço das cooperativas aos seus cooperados e porque não estender aos não cooperados (comunidade em geral), importante ressaltar que é decisivo o preparo das equipes. Vamos em frente!

  4. Faço isso desde que comecei a trabalhar a 35 anos O resultado eu sei por isso
    aprovo o raciocinio.Como cooperado consegui muito mais que o sistema financeiro tradicional

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.




*

WordPress spam blocked by CleanTalk.