Portal do Cooperativismo Financeiro FGCoop completa dois anos e atesta que cooperativas de crédito são sólidas e confiáveis – Portal do Cooperativismo Financeiro

FGCoop completa dois anos e atesta que cooperativas de crédito são sólidas e confiáveis

FGCoopPatrimônio do fundo já ultrapassa R$ 421 milhões e nunca precisou ser utilizado

Brasília (11/4) – As cooperativas de crédito são instituições financeiras sólidas. A prova que atesta isso é fato de o Fundo Garantidor do Cooperativismo de Crédito (FGCoop), que completou dois anos ontem (10/4), nunca ter sido utilizado para a cobertura de depósitos. Atualmente, o fundo conta um com patrimônio de R$ 421 milhões. O presidente do Conselho de Administração do Fundo, Manfred Dasenbrock, ressaltou a importância institucional da criação do FGCoop para o Sistema Nacional de Crédito Cooperativo.

“O fundo garantidor é um dos instrumentos da rede de proteção do sistema financeiro e o FGCoop, como fundo nacional, abrangendo todas as cooperativas de crédito captadoras de depósitos, reforça a confiabilidade na solidez do segmento cooperativista. Ressalto, ainda, que, igualada a condição de competitividade com os bancos na garantia de depósitos, até R$ 250 mil por associado, as cooperativas de crédito estão tendo a oportunidade de ampliar ainda mais o número de cooperados e o volume de depósitos e aplicações, com mais recursos para direcionar a operações de crédito”, comenta.

CONSTRUÇÃO – Manfred fez questão de ressaltar, também, o trabalho de construção coletiva do FGCoop, que envolve uma equipe jovem, inovadora e propositiva, um Conselho de Administração e um Comitê de Assessoramento arrojados, e o apoio de inúmeros outros agentes, como é o caso do Banco Central.

“Nós, conselheiros de administração e fiscais, estamos muito agradecidos e cheios de ânimo para continuar seguindo com esta obra, destinada aos cooperativistas do Brasil. Por isso, parabenizamos a todos que contribuem de forma participativa e decisiva para divulgar e ampliar a credibilidade do cooperativismo brasileiro”, conclui Manfred.

MARCO NORMATIVO – O presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, afirma que a criação do FGCoop (Resoluções nº 4.150/2012 e 4284/13), pelo Conselho Monetário Nacional, representa um marco normativo importantíssimo para que o cooperativismo de crédito se firme como um dos grandes players do mercado financeiro.

“Há dois anos, temos um fundo único para o cooperativismo de crédito, que dá segurança aos cooperados de todo o Brasil. Com o FGCoop, cada brasileiro associado a uma cooperativa de crédito captadora de depósitos sabe que seus depósitos estão protegidos. É com a sensação do dever cumprido que celebramos estes dois anos de operação do fundo”, comemora Márcio Freitas.

UNIÃO – “O FGCoop é a única entidade que congrega todas as cooperativas financeiras do país e que vem dar segurança aos nossos associados, caso precisem. Penso que nestes dois anos de existência, muito se fez. Também acredito ainda há muito a ser feito em prol de nossos associados. Pelos dois anos de existência, parabenizamos os funcionários e dirigentes, bem como a todos os parceiros que, até aqui, ajudaram nesta obra-prima. Rogamos, portanto, mais união para, juntos, sedimentá-la, elevando o cooperativismo ao patamar que nossos associados desejam!”, manifesta, Bento Venturim, vice-presidente do Conselho, nesse período.

AVANÇOS – Segundo o Diretor Executivo, Lúcio Faria, desde o início de suas atividades o FGCoop está preparado para, caso necessário, cumprir sua finalidade de cobertura de depósitos e, após o primeiro ano de consolidação do recolhimento de contribuições, já houve avanços importantes no dia-a-dia do FGCoop. “Neste último ano, destacaram-se a disponibilização do site em inglês e espanhol, a publicação de relatórios trimestrais sobre o SNCC e do boletim mensal com dados do segmento e do Fundo”, relembra.

MONITORAMENTO – De acordo com ele, a grande marca de 2015 foi a entrada do FGCoop em uma nova atividade: o monitoramento das cooperativas associadas, com a produção de relatórios trimestrais sobre o grau de risco de descontinuidade das singulares associadas, apresentado e acompanhado pelo Conselho de Administração a cada reunião bimestral. “O objetivo é antecipar a detecção de problemas e ajudar a promover soluções sistêmicas no SNCC, por meio do Conselho de Administração do Fundo”, explica Lúcio.

EVENTO – O diretor Cláudio Weber, responsável pela atividade de monitoramento, aproveitou a data para divulgar o 1º Fórum FGCoop sobre Monitoramento de Cooperativas de Crédito. O evento está marcado para o dia 17/5 e ocorrerá em Brasília. “O objetivo do evento é compartilhar experiências do Banco Central, do FGCoop e de algumas centrais e confederações, que foram buscadas em visitas técnicas realizadas pelo Fundo”, explica.

O diretor enfatiza, também, que o FGCoop está em processo de aperfeiçoamento de seu modelo de monitoramento. Atualmente este trabalho é feito com base em dados de balancetes disponibilizados pelo Banco Central. O FGCoop solicitou informações complementares ao Banco Central e solicitará outras informações às próprias cooperativas”, informa Weber.

SAIBA MAIS – O FGCoop é uma associação civil sem fins lucrativos, com personalidade jurídica própria, de direito privado, de abrangência nacional, tendo como associadas todas as cooperativas singulares de crédito captadoras de depósitos e os dois bancos cooperativos a saber: Bancoob e Banco Sicredi.

OBJETIVOS – O FGCoop tem por objeto prestar garantia de créditos contra as instituições associadas nas situações de decretação da intervenção ou da liquidação extrajudicial e também, no futuro, poderá contratar operações de assistência e de suporte financeiro, incluindo operações de liquidez com as instituições associadas, diretamente ou por intermédio de central ou confederação.

Mais informações poderão ser obtidas no site www.fgcoop.coop.br.

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.





*

WordPress spam blocked by CleanTalk.