Portal do Cooperativismo Financeiro Cooperativas de crédito adotam concepção avançada de sustentabilidade - Portal do Cooperativismo Financeiro

Cooperativas de crédito adotam concepção avançada de sustentabilidade

A concepção da sustentabilidade como um conjunto interdependente de práticas sociais, ambientais e econômicas, o mais avançado conceito em vigor, já recebeu destaque nas agendas de trabalho dos principais sistemas de cooperativas de crédito atuantes no País, o Sistema de Cooperativas de Crédito do Brasil (Sicoob) e o Sistema de Crédito Cooperativo (Sicredi). Por essa concepção, que está baseada no triple bottom line proposto pelo Global Reporting Initiative (GRI) e prevista na Consulta Pública n° 41 do Banco Central, uma instituição sustentável é aquela que gera resultado econômico, ao mesmo tempo em que protege o meio ambiente e melhora a qualidade de vida das pessoas com as quais interage.

Nessa linha, o Sicoob SC/RS é o primeiro, no País, a homologar sua Política de Sustentabilidade, dentro das exigências da Consulta Pública 41, segundo Rui Schneider da Silva, presidente do Sicoob Central SC. Na opinião dele, “a elaboração de uma política de sustentabilidade, assim como todas as ações derivadas ou direcionadas por ela são relevantes, pois consolidam em nossa cadeia de valor e para nossos públicos estratégicos, nossa intenção de perenidade dos negócios, de transparência nas relações, de equidade nos direitos e de ética na atuação (no mercado)”.

Silva conta que quando o Sicoob SC/RS iniciou suas atividades para identificar os critérios essenciais para uma gestão comprometida com a sustentabilidade, a Consulta Pública nº 41, ainda não havia sido divulgada pelo BC. Mas observa que a proposta desenvolvida no Sicoob SC/RS já estava em acordo com as premissas/diretrizes divulgadas posteriormente. “Houve, então, um processo de conciliação entre o que estávamos realizando e o que era exigido pelo BC. Pudemos constatar que estávamos indo além, pois, durante todo o processo buscamos engajar nossos stakeholders, facilitando assim a compreensão e a participação dos públicos interno e externo nas ações derivadas da política”.

Já o Sicredi foi pioneiro no setor no lançamento de Relatório de Sustentabilidade. Conforme Marcos Schwingel, gerente de Educação Cooperativa da Fundação Sicredi, para consolidar e aperfeiçoar sua política de sustentabilidade, o Sicredi lançou, em 2012, o primeiro relatório de sustentabilidade atendendo requisitos para o nível C (autodeclarado) do GRI. O Sicredi respondeu a 53 indicadores: 30 de perfil e governança e 23 de desempenho, sendo três deles integrantes do suplemento setorial da GRI para o setor financeiro. “As cooperativas de crédito do Sicredi são agentes promotores do desenvolvimento social e econômico das comunidades onde atuam e estão comprometidas com a proteção e o respeito ao meio ambiente”, diz.

Instituição financeira cooperativa com mais de 2,3 milhões de associados e 1.218 pontos de atendimento, em 10 estados brasileiros, o Sicredi criou sua Política de Sustentabilidade em 2011, como parte do Planejamento Estratégico 2011-2015 com o objetivo de gerar direcionamento para explicitar as boas práticas sustentáveis e aprimorar sua atuação, além de procurar envolver cada vez mais seus públicos de relacionamento. Como parte dessa estratégia, lançou o Relatório de Sustentabilidade para o registro e o acompanhamento da efetiva implantação da política.

Para ambos os sistemas, tanto enquadrar-se no conceito do GRI quanto atender as exigências do BC são altamente importantes porque significam a diferença entre ter ações isoladas seja no meio ambiente e/ou sociais e a incorporação de fato de critérios sustentáveis na estratégia da organização. Por exemplo, separar e reciclar resíduos e ter ações sociais trabalhadas isoladamente não contribuem para uma mudança de comportamento na execução e no relacionamento com os públicos estratégicos, tanto dentro como fora da organização.

 

O MODELO SICOOB

Com mais de 2,5 milhões de associados, o Sicoob estabeleceu como pontos principais para sua política de sustentabilidade a identificação dos stakeholders chaves ao processo e os critérios essenciais de uma gestão comprometida com a sustentabilidade; a consulta ao público externo para formação de uma matriz de materialidade; a identificação dos aspectos materiais, objetivos e diretrizes para cada público estratégico; a definição de indicadores para cada tema-chave, e a inclusão do desempenho correspondente às ações e objetivos contidos dessa política no software para monitoramento.

Num primeiro instante, a política de sustentabilidade beneficia todos os associados (465.281 em maio de 2013), força de trabalho, e demais relações diretas e indiretas de cada singular e central do Sicoob SC/RS. Para reforçar sua atuação, vem sendo adotadas uma série de medidas, como a implementação de uma política de gestão de pessoas. Este ano, a Escola de Líderes do Sicoob SC/RS pretende capacitar todos os 2.680 empregados de cooperativas do sistema e todos os gestores (presidentes, diretores e gerentes), ressalta Adael Juliano Schultz, sócio-diretor da Îandé Consultoria em Sustentabilidade, que colabora com o Siccob.

O sistema Sicoob oferece todos os produtos e serviços bancários e compartilha os resultados com seus associados, além de criar novas oportunidades de emprego e renda, conforme seu presidente. O sistema é integrado por uma Confederação Nacional, que tem a finalidade de defender os interesses das cooperativas representadas, pelo Banco Cooperativo do Brasil S.A. (Bancoob), cujo controle acionário pertence às cooperativas do Sicoob. E ainda pela Bancoob DTVM, distribuidora de títulos e valores, pelo Sicoob Previ, fundação que oferece plano de previdência complementar; Cabal Brasil, bandeira e processadora de cartões e a Ponta Administradora de Consórcios.

 

O MODELO SICREDI

No Sicredi, a Política de Sustentabilidade do Sicredi está baseada em três eixos principais: inserir princípios socioambientais no portfólio de produtos e serviços; tratar de questões de sustentabilidade nas compras e contratação de serviços e fomentar o desenvolvimento de programas de educação financeira e sensibilização em sustentabilidade para os públicos de relacionamento. Como exemplo dessa inserção, o gerente de educação do Sicredi cita o crédito. “Não é só conceder o crédito, é preciso também acompanhar se ele não está sendo usado em desacordo com as boas práticas sócio-ambientais, defendidas pela política de sustentabilidade.”

A escolha desta abordagem, acrescenta Schwingel, está alicerçada na satisfação das necessidades econômicas em equilíbrio com as sociais. Entre as iniciativas já implantadas em produtos e serviços estão ações de inclusão e educação financeiras e microcrédito, além de um conjunto de linhas de crédito socioambientais com recursos do Banco Nacional de Desenvolvimento Econômico e Social (BNDES).

Organizado em um sistema com padrão operacional único – que conta com 107 cooperativas de crédito filiadas, distribuídas em quatro Centrais Regionais – acionistas da Sicredi Participações S.A. – uma Confederação, uma Fundação e um Banco Cooperativo que controla uma Corretora de Seguros, uma Administradora de Cartões e uma Administradora de Consórcios – o Sicredi fomenta a inclusão financeira, especialmente de pequenos municípios. É a única instituição financeira existente em 235 cidades brasileiras, atendendo mais de 260 mil associados com soluções financeiras personalizadas, diz o gerente de educação.

Fonte: Revista MundoCoop

1 Comentário em Cooperativas de crédito adotam concepção avançada de sustentabilidade

  1. Bom Dia Cooperativistas !

    Parabéns ao SICRED, como Consultor em Gestão Empresarial escrevi alguns textos a respeito da indispensável visão de Gestão no sentido de Planejar as Cooperativas com um Crescimento, saindo da área de conforto e visualizando a sua participação como instrumento de transformação social, com a inclusão a preservação, o desenvolvimento, com suas próprias forças, com o envolvimento dos cooperados, com dirigentes cooperativistas íntegros, mostrando que é possível a Gestão Transparente, focada e principalmente Socializando o Crescimento a todos os participantes.
    O Cooperativismo ensina a pescar, disponibiliza a vara e a isca ……

    Grande abraço a todos

    SALVADOR SERRATO
    http://salvador-serrato-gestao-empresarial.blogspot.com.br/

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.




*

WordPress spam blocked by CleanTalk.