CECO: Conselho consultivo do ramo crédito finaliza plano de ação

Fundo garantidor e Diretriz Nacional de Educação foram mantidos como prioridade para o setor

Em reunião realizada em 12/06/12, na sede do Sistema OCB, em Brasília (DF), integrantes do Conselho de Crédito (Ceco) da Organização das Cooperativas Brasileiras (OCB) consolidaram os tópicos do Plano de Ação para 2012 e avançaram nas discussões com o Banco Central do Brasil (BC) sobre prioridades para o ramo. Essa foi a primeira reunião do Ceco sob a coordenação de José Salvino de Menezes, que assumiu o cargo na última reunião ordinária do órgão consultivo, em maio deste ano.

O presidente do Sistema OCB, Márcio Lopes de Freitas, que acompanhou as discussões no período da manhã, fez uma breve explanação sobre a nova composição da diretoria da OCB e o atual modelo de governança adotado. Enfatizou o novo modelo, destacando a grande expectativa que a diretoria tem com relação aos avanços esperados para o ramo crédito. “O trabalho realizado pelo Ceco tem sido fundamental para o desenvolvimento e consolidação do cooperativismo de crédito”, destacou.

As sugestões apresentadas pelos participantes da reunião ordinária de maio foram avaliadas pelo grupo técnico, juntamente com a coordenação. Conforme explica o gerente do Ramo Crédito da OCB, Sílvio Giusti, algumas foram incorporadas e outras declinadas neste momento. Segundo o gestor, as prioridades do ramo foram mantidas.

“O Conselho discutiu exaustivamente sobre o processo de acesso aos recursos do Fundo de Amparo ao Trabalhador (FAT), um dos principais itens na pauta cooperativista no Congresso Nacional, e também sobre a constituição do Fundo Garantidor único para as cooperativas”.

Na questão dos desafios internos para o ramo, também foi ratificada como prioritária a Diretriz Nacional de Educação, que encontra-se atualmente em fase de implantação do projeto piloto de formação de conselheiros – programa Formacred. “O Plano de Ação Ceco 2012 será divulgado nos próximos dias”, afirmou o gestor.

No período da tarde, com a presença de representantes dos departamentos de Normas (Denor), de Organização do Sistema Financeiro (Deorf) e de Supervisão de Cooperativas e Instituições Não-Bancárias (Desuc), do Banco Central, o grupo avançou, mais especificamente, nos entendimentos relativos à constituição do Fundo Garantidor único. “Esse foi o principal tópico das discussões. Também promovemos nivelamentos na esfera técnica com relação ao tema cogestão e esclarecemos dúvidas de interpretação sobre a resolução 4.072, que trata de dependências de instituições financeiras”, resumiu Giusti.

Fonte: OCB

Seja o primeiro a comentar

Faça um comentário

Seu e-mail não será divulgado.




*

WordPress spam blocked by CleanTalk.